Credores não arrolados em recuperação judicial podem ajuizar execução individual

scott-graham-OQMZwNd3ThU-unsplash_Easy-Resize.com (2)
6 de agosto de 2021

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O Superior Tribunal de Justiça (STJ), por sua 4ª. Turma, no julgamento do AgInt no Ag. em REsp 1.641.169,  entendeu que o titular de crédito voluntariamente excluído do plano recuperacional, detém a prerrogativa de decidir entre habilitar o seu crédito ou promover a execução individual após finda a recuperação.

Para a Corte, caso a obrigação não seja abrangida pelo acordo de recuperação, não haverá falar em novação, ficando o crédito excluído da recuperação e, por conseguinte, podendo ser satisfeito pelas vias ordinárias (execução ou cumprimento de sentença).

Para o STJ, caso o credor excluído tenha optado pela execução individual, ficará obrigado a aguardar o encerramento da recuperação judicial e assumir as consequências jurídicas (processuais e materiais) de sua escolha, para só então dar prosseguimento ao feito, em consonância com o procedimento estabelecido pelo CPC/2015. (REsp 1.851.692, 4ª T., j. em 25/5/2021).

Recuperação judicial. Crédito sujeito à recuperação. Não inclusão no plano. Habilitação. Faculdade – Precedentes: REsp 1851692, CC 114.952, REsp 1.571.107, REsp 1.873.572.

 * Informativo semanal – 19/07/2021 da JuruáDocs.

* organização: Jurandyr Souza Jr. – Advogado e Consultor Jurídico do SINFAC-PR

Inscreva-se e receba notificações das publicações de artigos e conteúdo.

Assine nossa newsletter

Assine e receba nossa newsletter para acompanhar as novidades do da comunidade.

Politica de Privacidade(Requirido)
Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.